Em meados de 2012, ((o))eco perdeu sua repórter do tema alimentos, Nanda Melonio, que foi trabalhar na Ong WWF. Sorte deles e um grande desfalque para nós, que pretendemos reavivar a área de “Alimentos” em 2013. Mas enquanto esteve conosco, Nanda, escrevendo de Belém do Pará, nos mostrou a cozinha com ingredientes tradicionais da Amazônia, a criação sustentável do Pirarucu e como somos enganados pela propaganda dos aguados e manipulados sucos de fruta, que encontramos nos supermercados.

Como a gastronomia pode fazer com que os brasileiros conheçam melhor a Região Amazônica e aprenda a preservá-la
Com produção tida como alternativa para desenvolvimento sustentável, pirarucu chega à mesa do Centro-Sul como o “Bacalhau da Amazônia”.
Pesquisadores holandeses podem ajudar a reduzir número de bovinos criados para alimentação e conter emissões de gases do efeito estufa.
Apesar do apelo à vida saudável, bebidas à base de frutas possuem açúcar demais e polpa de menos. E o consumidor nem sempre sabe disso.
Movimento Slow Food cresce ao redor do mundo ensinando a valorização da produção local, do preparo e da variedade na hora de comer.
Cercada de mitos sobre suas vantagens, hidroponia pode ser uma alternativa à agricultura tradicional, que poupa água e evita agrotóxicos.
Os alimentos da merenda, que antes eram preparados em forno a lenha, agora são fritos, cozidos, assados e grelhados com energia solar.