Reportagens

Imagens mostram dimensão das chuvas

Satélites mostram o acúmulo de chuvas acima da média em janeiro. Região serrana do Rio de Janeiro está entre as mais afetadas

Redação ((o))eco ·
13 de janeiro de 2011 · 13 anos atrás
Casas destruídas pela enxurrada em Teresópolis. Foto: Vladmir Platonow/Agência Brasil.

Mande relatos, fotos e vídeos sobre as chuvas em todo o Brasil para o mapa colaborativo Chuvas 2011. Saiba como

As chuvas que causaram centenas de vítimas na região serrana do Rio de Janeiro caíram em quantidade bem maior às que foram registradas no mesmo período do ano passado. De acordo com informações do INPE, a média de precipitações registrada no país entre o 01 de janeiro e dia 12 janeiro de 2010 para todo país foi 77,6 mm , enquanto que neste ano a média para os primeiros 12 dias do ano foi de 98 mm. Veja as imagens abaixo fornecidas pelo CPTEC do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

As piores precipitações na região onde estão as cidades de Teresópolis, Petropólis e Nova Friburgo ocorreram na noite da terça (dia 11) e na madrugada de quarta feira (12 de janeiro). Segundo informações da Defesa Civil mais de 360 pessoas morreram em decorrência de deslizamentos e trombas da água nestas localidades. A imagem abaixo é uma animação feitas com imagens de satélite entre as 22:30 do dia 11 até às 6:30 da manhã do dia seguinte. Note a concentração de nuvens sobre o estado do Rio de Janeiro.

 

Leia também

Notícias
25 de junho de 2024

Queimadas já atingiram mais de 600 mil hectares no Pantanal

Área queimada em 2024 é 143% maior do que o registrado em 2020, quando um terço do bioma foi devastado. Incêndios devem ultrapassar 2 milhões de hectares este ano

Salada Verde
25 de junho de 2024

Florestas de todos

Plataforma governamental reúne informações sobre um dos (ainda) maiores remanescentes planetários de vegetação nativa

Reportagens
25 de junho de 2024

Dinastia Amazônia – Parte II

China se alastra por infraestrutura brasileira e impõe seu modelo de “civilização ecológica” de crescimento

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.