Reportagens

O Xingu que morrerá

Imagens feitas em visita ao Xingu revelam que Belo Monte vai mudar para sempre o rio, a floresta e os povos indígenas que vivem ali.

Donizete Tomé ·
20 de abril de 2010 · 14 anos atrás

Neste dia 20 de abril de 2010, o governo federal conduziu o leilão de concessão da usina hidrelétrica de Belo Monte. O empreendimento dará origem à terceira maior barragem do mundo e terá potência instalada de aproximadamente 11,6 mil MW. Neste ensaio o ambientalista e advogado Donizete Tomé revela o que será perdido sob o lago de Belo Monte. Saiba mais lendo as reportagens “Aprovada sem louvor” e “Para ONGs, leilão foi ilegal”.

Este será o ambiente destruído.

A bela floresta do Xingu vai para debaixo d’água. Foto: Donizete Tomé.
A floresta da região. Foto: Donizete Tomé.
Os impactos sobre as aldeias no Rio Bacajá são incertos. Este rio desemboca no Xingu bem na volta grande. Foto: Donizete Tomé.
As corredeiras cobiçadas. Foto: Donizete Tomé.
As florestas nas ilhas do rio ficarão submersas. Foto: Donizete Tomé.
Crianças do Xingu têm futuro? Foto: Donizete Tomé.
Os indígenas serão deslocados por conta da obra de Belo Monte. Foto: Donizete Tomé.
Já ameaçadas pelo desmatamento, terras indígenas sofreram pressão da obra. Foto: Donizete Tomé.
Mais uma aldeia que será impactada. Foto: Donizete Tomé.
Mais das belas curvas do Xingu. Foto: Donizete Tomé.
Nas proximidades da grande curva. Foto: Donizete Tomé.
O cair da tarde na área da futura barragem. Foto: Donizete Tomé.
O rio visto de cima na área que será alagada. Foto: Donizete Tomé.
Xingu. Foto: Donizete Tomé.
Xingu. Foto: Donizete Tomé.

 

Leia também

Reportagens
20 de abril de 2010

Aprovada sem louvor

Em leilão de dez minutos, governo arrebanha investidores para construção de Belo Monte. Consórcio da estatal Chesf apresentou proposta vencedora.

Análises
24 de julho de 2024

Portão do Inferno, um risco para o país

Governo de MT sinaliza que aguardará fim do Festival de Inverno para iniciar desmonte de parte do paredão do Parque da Chapada dos Guimarães. ICMBio diz que obra pode inviabilizar funcionamento da UC

Salada Verde
24 de julho de 2024

A gangorra climática das árvores da Mata Atlântica

Pesquisa inédita aponta que as plantas estão subindo ou descendo montanhas em busca de temperaturas mais amenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.