Notícias

Desmatamento aumenta pelo quarto mês consecutivo, diz Imazon

Em dezembro, foi registrado aumento de 107% de perda florestal, em comparação com o mesmo mês de 2011: 82 Km de floresta desapareceram.

Daniele Bragança ·
18 de janeiro de 2013 · 11 anos atrás

Visualizar Desmatamento na Amazônia Legal – Dezembro 2012 em um mapa maior

É temporada de chuvas na Amazônia. Mesmo com o mal tempo, o desmatamento aumentou 107% no mês de dezembro, em comparação com o mesmo mês de 2011. Os dados foram divulgados hoje (18) pela ONG Imazon, que faz o monitoramento independente do desmatamento na região. De acordo com a ONG, esse é o quarto mês seguido que os números do desmatamento aumentam.

De 40 quilômetros quadrados (km2) registrados em dezembro de 2011, o desmate pulou para 82 km2 em dezembro de 2012. Os dados foram detectados com mais da metade (57%) da área florestal sob nuvens, o que dificulta a visualização das imagens detectadas pelo satélite. Em dezembro de 2011, as nuvens encobriram 76% do território da Amazônia Legal, o que significa que o aumento pode não ter sido tão brusco como o apresentado, já que no ano passado a má visibilidade pode ter subestimado o desmatamento no mês de dezembro.

A maioria do desmatamento ocorreu em Mato Grosso (57% da área desmatada aferida), seguido pelo Pará (27%), Rondônia (10%) e Amazonas (6%).

“Em Relação ao Mato Grosso, é necessário destacar que, em novembro, esteve praticamente todo encoberto por nuvens. Então, os desmatamentos ocorridos naquele mês podem não ter sido detectados e terem sido contabilizados só em dezembro”, explica a ((o)) eco Heron Martins, engenheiro ambiental  do Imazon. “No Pará, 70% da área do estado estava encoberta por nuvens, limitando o monitoramento em dezembro. Entretanto, considerando o acumulado no período agosto-dezembro, o Pará lidera”.

Desmatamento de agosto de 2011 a dezembro de 2012 na Amazônia Legal (Fonte: Imazon/SAD).
Desmatamento de agosto de 2011 a dezembro de 2012 na Amazônia Legal (Fonte: Imazon/SAD).

Os dados do período de agosto a dezembro de 2012 mostram que houve aumento de 127% sobre o período agosto-dezembro de 2011. O desmatamento saltou de 568 para 1.288 km2 registrados no último período.

Aumenta desmatamento em Terras Indígenas
A má notícia veio das Terras Indígenas, que normalmente desmatam pouco. Em dezembro, elas representaram 17% da área desmatada, ficando em 2º lugar no ranking dos campeões do desmatamento. Áreas privadas ou sob diversos estágios de posse registraram 71% do desmate no período e se mantiveram o primeiro lugar no ranking.

Terra Indígena desmatadas na Amazônia Legal em dezembro de 2012 (Fonte: Imazon /SAD).
Terra Indígena desmatadas na Amazônia Legal em dezembro de 2012 (Fonte: Imazon /SAD).

O destaque foi para a terra indígena Marãiwatsédé, localizada em Mato Grosso, que desmatou 6,1 km², dos 14 km² desmatados nas terras indígenas em dezembro.

“Em relação ao tipo de terra onde ocorreu o desmatamento, a cobertura de nuvens também foi relevante. As Terras Indígenas localizadas no Mato Grosso tiveram melhor visibilidade, facilitando o monitoramento. Entretanto, a TI Marãiwatsédé é considerada uma das áreas protegidas mais ameaçadas da Amazônia”, afirmou Martins.

No mês passado,  ((o))eco, analisou os dados do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), do INPE. O tamanho da devastação nesta Terra Indígena entre janeiro e outubro do ano passado foi de  88,5 km2, colocando Marãiwatsédé no 1o lugar do ranking de alertas de desmatamento em 2012.

*Matéria editada em 21/01/2013. Erramos: são 4 meses de aumento consecutivo medidos pelo Imazon, a partir de setembro.

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site ((o))eco, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

Leia também

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Antas “avisam” pesquisadores sobre contaminação humana por agrotóxicos no MS

Além de agrotóxicos como glifosato, moradores do sudeste do estado também apresentaram altos índices de metais no corpo. Antas atuaram como sentinelas

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Pouco mais de mil espécies representam metade das árvores tropicais do planeta, aponta estudo

Publicada na revista Nature, estimativa é de que 2,24% das espécies arbóreas da Amazônia, África e Sudeste Asiático correspondam a 50% dos 800 bilhões de árvores do bioma tropical

Notícias
22 de fevereiro de 2024

CEEE Equatorial terá que isolar fios da rede elétrica para proteger bugios, decide Justiça

Juiz acatou pedido do MP e concessionária de energia que atua na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS) terá que adequar o serviço para evitar morte de bugios

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.