Notícias

InfoAmazonia mostra a grande floresta como você nunca viu

Nova plataforma de geolocalização permite mapear reportagens sobre a região e acumular dados de desmatamento, incêndios e mineração.

Redação ((o))eco ·
25 de junho de 2012 · 9 anos atrás

Com seus 6,7 milhões de quilômetros quadrados que se espalham por 9 países, o bioma amazônico é um dos mais biodiversos do mundo. A maneira mais incisiva de visualizar sua grandeza e problemas é através de mapas. O InfoAmazonia oferece mapas interativos para mostrar exatamente onde se passam as histórias jornalísticas sobre a região e georeferenciar bancos de dados sobre desmatamentos, incêndios, extração de petróleo e mineração. Assim como ((o))eco Amazônia, o novo site publica seu conteúdo em 3 línguas: português, espanhol e inglês.

A plataforma pioneira é resultado dos esforços de ((o))eco e Internews, agência de desenvolvimento de mídia, com apoio da bolsa Knight do Centro Internacional para Jornalistas. Com o InfoAmazonia, o público ganhou mapas interativos que servem a quem precisa de dados sobre a região e a quem pode provê-los, ao permitir o carregamento e download de notícias ambientais e dados sobre a bacia amazônica.

“O InfoAmazonia nasce no momento em que há muita conversa sobre os dados abertos. Institutos e ONGs estão coletando dados sobre a região amazônica durante décadas, mas é frequente esses dados não estarem acessíveis para o público em geral. Este projeto proporcionará uma plataforma para compartilhá-los juntamente com as bases de dados já abertas, como por exemplo os índices de desmatamento fornecidos pelo governo do Brasil e sobre os incêndios florestais dos satélites da NASA”, diz Gustavo Faleiros, criador de InfoAmazonia em O Eco e bolsista Knight do Centro Internacional para Jornalistas. “Os mapas têm sido um meio de interpretar a realidade por muitos séculos. Com o InfoAmazonia unimos a melhor técnica digital para facilitar a visualização e a organização de informações”.

Oficina de mapeamento digital do projeto InfoAmazonia, na sede do iBase, Rio de Janeiro. Foto: Juliana Mori
Oficina de mapeamento digital do projeto InfoAmazonia, na sede do iBase, Rio de Janeiro. Foto: Juliana Mori

O projeto usa o software de mapeamento digital MapBox. Em vez de um ambiente de informação estática, a plataforma é um espaço vibrante para o público participar do processo de coleta , comunicação e verificação de dados. O InfoAmazonia também visa criar uma rede de jornalistas e ONGs, e treiná-los no uso de aplicativos de geo-localização de informação. No dia 17, durante a Rio+20, ocorreu a sua primeira oficina de mapeamento digital, envolvendo 30 jornalistas que se reuniram na sede do iBase. Nela, mostrou-se como o uso de softwares como Tilemill, Google Fusion e Google Earth pode ajudar a construir narrativas jornalísticas.

“A ideia foi sonhada durante 4 anos. É maravilhoso vê-la decolar no momento em que há uma enxurrada de dados ambientais disponíveis, entretanto, sem que seja fácil torná-los compreensíveis. O InfoAmazonia faz exatamente isso”, diz James Fahn, diretor-executivo da rede “Earth Journalism Network”, da Internews.

A Amazônia sofre desmatamentos em larga escala e uma pressão constante pela exploração de seus recursos minerais. Ainda assim, pode-se dizer que o público não está bem informado sobre esses desafios e que a grande mídia não tem transmitido a sua extensão, causas e implicações. O InfoAmazonia preenche uma lacuna ao prover uma ferramenta que integra a análise desses problemas e permite aos produtores de conhecimento sobre a região unirem seus trabalhos.

O desenvolvimento da plataforma foi possível com o apoio da iniciativa Climate and Development Knowledge Network.

 

Leia também

Análises
20 de setembro de 2021

Uma aventura na Rota dos Pioneiros, a maior trilha aquática do Brasil

Percorrida de caiaque pelas águas do rio Paraná, na divisa entre Mato Grosso do Sul e Paraná, a Rota dos Pioneiros é uma oportunidade de remar no curso deste gigante e conhecê-lo de forma privilegiada

Notícias
20 de setembro de 2021

Desmatamento na Amazônia até agosto é 48% maior que mesmo período em 2020

Acumulado do ano chegou a 7.715 km², a maior cifra da década. Somente em agosto foram desmatados 1.606 km², área equivalente a cinco vezes Belo Horizonte

Reportagens
20 de setembro de 2021

Vegetação nativa exerce efeito protetor contra poluentes em remanescentes florestais

Estudo indica que a proporção de cobertura florestal em áreas do Corredor Ecológico Cantareira-Mantiqueira influencia as concentrações de metais tóxicos acumulados em abelhas jataí encontradas na área de proteção ambiental

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta