Notícias

A imponente arara-vermelha

A exuberante arara-vermelha é bastante comercializada de forma ilegal, vendida ao estrangeiro como animal de estimação. Foto: Paulo Zuquim Antas

Duda Menegassi ·
15 de junho de 2012 · 12 anos atrás
A homenageada de hoje, pelo ((o)) eco, é a bela e famosa arara-vermelha (Ara chloropterus), também chamada de arara-vermelha-grande. O “grande” no nome não é gratuito, ela pode medir até 95 cm e pesar cerca de 1,5 kg. Sua coloração vermelha e sua exuberância chamam a atenção e ela é visada pelo tráfico ilegal de animais, vendida no Brasil e em países estrangeiros como bicho de estimação. A espécie não se encontra em perigo de extinção, mas é preciso ter cuidado, pois a população de araras-vermelhas já foi extinta no Espírito Santo e no Paraná. Atualmente, o habitat da ave se estende desde a Amazônia até o Piauí, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Fora do território nacional, ela também é encontrada no Panamá, Colômbia, Venezuela, Guianas, Equador, Peru, Bolívia e Paraguai. Vive no topo das árvores em matas de beira de rios. Alimenta-se de frutos e sementes, em geral, e costuma andar sempre em bando ou em pares. A arara-vermelha é um animal da coletividade e pode até mesmo dividir ou alternar ninhos com as araras-azuis. Esses ninhos normalmente são feitos em pequenas cavidades em penhascos ou em ocos de árvores, com uma ninhada de 2 ou 3 ovos por vez que ficam incubados por um período de 29 dias. Foto: Paulo Zuquim Antas

*nota editada em 16/6/12

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Antas “avisam” pesquisadores sobre contaminação humana por agrotóxicos no MS

Além de agrotóxicos como glifosato, moradores do sudeste do estado também apresentaram altos indices de metais no corpo. Antas atuaram como sentinelas

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Pouco mais de mil espécies representam metade das árvores tropicais do planeta, aponta estudo

Publicada na revista Nature, estimativa é de que 2,24% das espécies arbóreas da Amazônia, África e Sudeste Asiático correspondam a 50% dos 800 bilhões de árvores do bioma tropical

Notícias
22 de fevereiro de 2024

CEEE Equatorial terá que isolar fios da rede elétrica para proteger bugios, decide Justiça

Juiz acatou pedido do MP e concessionária de energia que atua na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS) terá que adequar o serviço para evitar morte de bugios

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.