Salada Verde

Desintoxicando as prateleiras

Governo e redes varejistas apertam as mãos para estender análises de agrotóxicos aos grandes supermercados. Pressão econômica pode reduzir uso de venenos na produção agrícola nacional.

Salada Verde ·
31 de julho de 2009 · 15 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Abras – Associação Brasileira de Supermercados e Grupo Pão de Açúcar assinam nesta segunda (3) um acordo para padronizar os testes que detectam resíduos de agrotóxicos em alimentos. A idéia é disparar um movimento para que o maior número possível de supermercados adote o modelo oficial de análises, ampliando a base de dados da agência e futuramente rastreando os alimentos mais contaminados até sua origem, nas lavouras.

O programa governista que mede resíduos de agrotóxicos nos alimentos analisa 160 substâncias em produtos coletados nas redes varejistas. Atualmente, apenas Alagoas está de fora da iniciativa.

O Pão de Açúcar tem um programa piloto para testes desde junho de 2007, verificando resíduos em frutas, legumes e verduras que comercializa. As análises envolvem todos os fornecedores de todas as lojas do grupo. A empresa chegou a contratar agrônomos para verificar e orientar produtores em campo. “O objetivo é ampliar esse tipo de iniciativa”, disse Daniela Jorge, da área de agrotóxicos da Anvisa.

Reunindo os principais grupos do setor, a Abras tem todo o interesse em levar as avaliações de resíduos tóxicos às grandes redes, inclusive porque alimentos contaminados vendem menos. “Queremos criar um modelo comum de análises para o empresariado mercadista, com baixo custo, e sempre em conformidade com a defesa dos consumidores”, disse Sussumo Honda, presidente da entidade.

Saiba mais:
Na pressão por mais agrotóxicos
Venenos ilegais no Sul
Articulação sobre uso de agrotóxicos
Monopólio de agrotóxicos

Leia também

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Pouco mais de mil espécies representam metade das árvores tropicais do planeta, aponta estudo

Publicada na revista Nature, estimativa é de que 2,24% das espécies arbóreas da Amazônia, África e Sudeste Asiático correspondam a 50% dos 800 bilhões de árvores do bioma tropical

Notícias
22 de fevereiro de 2024

CEEE Equatorial terá que isolar fios da rede elétrica para proteger bugios, decide Justiça

Juiz acatou pedido do MP e concessionária de energia que atua na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS) terá que adequar o serviço para evitar morte de bugios

Notícias
22 de fevereiro de 2024

ICMBio convoca sociedade para analisar propostas de novas UCs

Ao todo, foram analisadas 219 propostas de criação ou ampliação de unidades de conservação em todos os biomas do país. Maior parte delas na zona costeira e marinha

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.