Salada Verde

Dilma proíbe negociações da MP do Código Florestal

Presidente desautorizou o ministro Mendes Ribeiro, da Agricultura, que acenou com a flexibilização da Medida Provisória do Código.

Daniele Bragança ·
13 de junho de 2012 · 10 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Ministro Mendes Ribeiro, do Ministério da Agricultura, irritou Dilma por reabrir discussão sobre Código Florestal. Foto: Valter Campanato/ABr
Ministro Mendes Ribeiro, do Ministério da Agricultura, irritou Dilma por reabrir discussão sobre Código Florestal. Foto: Valter Campanato/ABr

Com a Conferência Rio+20 batendo à porta, tudo que a presidente Dilma Rousseff não quer ouvir falar é sobre um acordo que flexibilize a Medida Provisória do Código Florestal, editada no final do mês passado para sanar as lacunas deixadas no texto da lei. Oficialmente, as negociações da matéria estão suspensas até o final da Conferência da ONU, no dia 22 de junho. A informação saiu na edição online do jornal Folha de S. Paulo. A MP 571 já recebeu mais de 700 emendas.

A mais recente saia justa da novela do Código Florestal foi a declaração do Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, que afirmou no sábado (08/12) que o governo estaria disposto a negociar modificações na Medida Provisória 571. No dia seguinte, a Presidente Dilma o desautorizou: “O ministro não está autorizado pela presidente a falar sobre negociação sobre Código Florestal”, afirmou o porta-voz da Presidência, Thomas Traumann. 

Com o foco da Rio+20, a presidente Dilma não quer que o Código volte aos holofotes, o que causaria desgaste político num momento em que o Brasil precisa se mostrar um país sustentável. Há uma semana, o governo apresentou o pacote ambiental para melhorar sua imagem na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável.

Na coluna “Conversa com a Presidenta”, que sai toda semana em diversos jornais do país, Dilma, respondendo a uma leitora de Teresópolis, afirmou que nenhuma legislação nova deve enfraquecer a proteção ao meio ambiente. “Vamos continuar crescendo de forma sustentável, com a preservação e a recuperação das áreas desmatadas indevidamente – margens de rios, nascentes e topos dos morros. Tenho convicção de que todos trabalharão juntos para o Brasil continuar preservando o meio ambiente, incluindo socialmente e gerando empregos e oportunidades para todos”, disse.

O discurso de crescer respeitando o meio ambiente faz parte do clima da conferência e não se restringe ao governo federal. Empresas, organizações e governos – municipal, estadual – se pintarão de verde para sair bem na foto na Rio+20. Verde é a cor dos próximos 15 dias.

 
  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
28 de janeiro de 2022

‘Nós não negamos nem desprezamos as causas das mudanças de clima’, defende-se Xico Graziano

Em pedido de resposta, engenheiro agrônomo Xico Graziano, membro do núcleo de campanha de Sergio Moro, diz que candidatura é aliada na luta em defesa do futuro sustentável

Salada Verde
28 de janeiro de 2022

Filhote de onça se esconde em motor de caminhonete, veja vídeo

Onça cutucada com vara curta contraria dito popular e apenas foge. Filmagem tem sido compartilhada em grupos e nas redes sociais. Não se sabe a origem do vídeo

Notícias
28 de janeiro de 2022

Cientistas pedem que países europeus e China boicotem soja e carne brasileira

Em artigo, os pesquisadores denunciam a nova alta de desmatamento na Amazônia e pressionam os países a pararem de comprar soja e carne bovina brasileira

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Manoel diz:

    Ou seja… os desqualificados nem escondem que a questão é política. Querem ajudar a quebrar o Brasil de qualquer jeito. E o melhor de tudo é apelaram pra China, como se não fossem os maiores poluentes do mundo. Infelizes…