Salada Verde

Outra usina saindo do forno no MT

Empresa de Pesquisa Energética anuncia aceite do Ibama a estudo de impacto ambiental para usina Teles Pires (MT). A pressão só está recomeçando

Redação ((o))eco ·
29 de setembro de 2010 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Local onde será construído a usina. Imagem: Google Maps.

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, informou que o Ibama aceitou o estudo de impacto ambiental para a usina hidrelétrica Teles Pires, a ser erguida no rio de mesmo nome, no que resta de floresta preservada no norte de Mato Grosso. Apesar disso, de acordo com as informações disponibilizadas pela área de licenciamento ambiental do Ibama na internet, no processo os quesitos “presença de terras indígenas, unidades de conservação, áreas prioritárias para conservação” estão preenchidos com “sem informação”. Basta olhar qualquer mapa de áreas protegidas ou áreas prioritárias para conservação da biodiversidade para identificar as terras indígenas Kayabi, Munduruku e o Parque Nacional do Juruena bem próximos do local da usina.

Os estudos de impacto ambiental foram entregues em maio deste ano. Ou seja, foram menos de cinco meses de análises. Novamente, a pressa tem um motivo: o leilão de energia da Aneel previsto para dezembro deste ano. Todos os problemas identificados e exaustivamente denunciados pelos próprios servidores do Ibama, ambientalistas e indígenas sobre os riscos da aprovação repentina de projetos deste tipo para a Amazônia no episódio do licenciamento da usina de Belo Monte, no Pará, parecem não ter modificado em nada o comportamento do governo.

No caso da UHE Teles Pires, a EPE prevê uma produção de energia de 1820 MW e um custo que supera R$ 2,4 bilhões de reais. A barragem terá uma altura de 68 metros e o comprimento de 956 metros. Tolmasquim disse ainda que a Funai teria prometido aprovar o projeto da usina. Só para o rio Teles Pires, há pelo menos outros dois projetos de grandes hidrelétricas: UHE São Manoel e UHE Foz do Apiacás.

Leia também

Notícias
20 de maio de 2022

Alto custo é principal barreira para visitação de parques

De acordo com estudo, alto custo da viagem, distância e falta de informações disponíveis são os principais obstáculos para visitação de parques naturais

Notícias
20 de maio de 2022

Presidenciáveis recebem plano para reverter boiadas ambientais de Bolsonaro

Estratégia ‘Brasil 2045’ propõe medidas para reconstruir política ambiental brasileira e fazer país retomar posição de liderança global em meio ambiente

Análises
20 de maio de 2022

O dilema de Koniam-Bebê

Ocupação indígena no Parque Estadual Cunhambebe realimenta falsa dicotomia entre unidades de conservação e territórios indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Cássio Garcez diz:

    Brilhante análise, Beto. Parabéns e obrigado por ela.