Salada Verde

A aposta do Google em energia limpa

O Google acha que a alternativa para salvar o planeta do aquecimento global está nas profundezas da Terra. O calor produzido embaixo da superfície é ilimitado e não emite gases de efeito estufa.

Salada Verde ·
20 de agosto de 2008 · 16 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Em palestra feita ontem no Seminário sobre Energia Limpa, em Las Vegas, Dan Reicher, da Google.org – a Ong dos controladores do Google que financia projetos sociais e ambientais ao redor do mundo – defendeu que a principal alternativa para a produção de energia limpa em larga escala não está nas turbinas de vento, placas solares ou hidrelétricas. O futuro, segundo Reicher, está na energia geotérmica, uma fonte ilimitada e neutra em carbono. A tecnologia, que já é usada em baixa escala, consiste em capturar o calor produzido nas profundezas do planeta para gerar energia elétrica. Nesse vídeo  , em inglês, algumas das principais sumidades no assunto, entre eles Steven Chu, ganhador do Nobel, explicam como se faz essa ‘mágica’. O Google já investiu mais de 10 milhões de dólares em pesquisas sobre a energia geotérmica.

Leia também

Notícias
24 de abril de 2024

Na abertura do Acampamento Terra Livre, indígenas divulgam carta de reivindicações

Endereçado aos Três Poderes, documento assinado pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e organizações regionais cita 25 “exigências e urgências” do movimento

Reportagens
24 de abril de 2024

Gilmar suspende processos e propõe ‘mediação’ sobre ‘marco temporal’

Ministro do STF desagrada movimento indígena durante sua maior mobilização, em Brasília. Temor é que se abram mais brechas para novas restrições aos direitos dos povos originários

Notícias
24 de abril de 2024

Cientistas descobrem nova espécie de jiboia na Mata Atlântica

A partir de análises moleculares e anatômicas, pesquisadores reconhecem que jiboia da Mata Atlântica é diferente das outras, e animal ganha status de espécie própria: a jiboia-atlântica

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.