Reportagens

No MT, o voto é verde

Pesquisa do Ibope mostra que, no estado campeão do desmatamento, os eleitores acham meio ambiente tão importante quanto crescimento econômico.

Carolina Elia ·
26 de agosto de 2005 · 16 anos atrás

Uma pesquisa de opinião pública do Ibope revelou o que os números do desmatamento na Amazônia jamais poderiam atestar. Os eleitores do Mato Grosso são contra a destruição da floresta. Entre proteger o meio ambiente ou privilegiar o crescimento econômico, 52% ficam do lado da natureza. Para 59% dos entrevistados, o Mato Grosso deve aumentar os cuidados com os recursos naturais, mesmo que isso prejudique a economia e até provoque desemprego.

A pesquisa foi realizada em julho deste ano com 1.512 pessoas. Todas com mais de 16 anos e grau de escolaridade entre a 4ª série completa e ensino superior. Quase a metade (49%) votou no empresário Blairo Maggi para governador em 2002 e 68% aprovam a sua administração. Seis em cada dez entrevistados acreditam que o Mato Grosso está no caminho certo. A resposta contradiz a linha de consciência ambiental apresentada. Afinal, desde que Blairo Maggi assumiu, o estado tem liderado o desmatamento da floresta amazônica e usado a economia como desculpa para devastar sem dó.

Os mato-grossenses reconhecem que a atual administração investe especialmente em agropecuária, a alavanca do PIB estadual. E 75% confessam que se alguma atividade econômica tiver que ser freada em benefício do meio ambiente, eles torcem para que seja a extração de madeira, e não a agricultura ou a pecuária. Ainda que essas duas últimas sejam apontadas como os principais estímulos para o corte de floresta na região. A resposta no fundo faz sentido. O Mato Grosso é o maior produtor de soja do país e possui o maior rebanho nacional, mas lidera a extração ilegal de madeira na Amazônia.

Sete em cada dez eleitores mato-grossenses acham que o Mato Grosso tem o dever perante o resto do país de proteger suas florestas. E 67%, a maioria jovem e com nível de escolaridade alta, acham que o estado não deve fazer o que bem entender com suas florestas e matas tropicais sem dar satisfações a ninguém. Quanto a isso, 18% descordam, pelo menos em parte. Curiosamente, no estado onde os caminhoneiros escrevem em seus para-choques frases como “Eu amo a BR-163. Fora Ongs.”, 43% dos eleitores dizem que, de modo geral, quem tem razão na hora de discutir meio ambiente são as Ongs. Já ¼ deles acha que quem tem que ter a palavra final são as pessoas que dependem dos recursos naturais para atividades econômicas.

A pesquisa do Ibope revela que a maior parte da população de Mato Grosso, seja ela jovem ou idosa, pouco esclarecida ou possuidora de um diploma universitário, não concorda com a política ambiental de Blairo Maggi. Os mais velhos e mais letrados dizem confiar nele (57%), mas se as eleições para governador fossem hoje apenas 17% dos entrevistados garantem que votariam no empresário. Abra o olho, Maggi. Nem só de soja se faz o amanhã.

Leia também

Notícias
19 de janeiro de 2022

Com pedido de Wassef, Justiça libera madeira apreendida em operação histórica

O advogado da família Bolsonaro conseguiu a liberação de madeira e bens da empresa MDP Transportes, uma das afetadas pela operação da PF que resultou na maior apreensão de madeira já feita

Salada Verde
18 de janeiro de 2022

Em evento, Bolsonaro comemora redução de 80% das multas do Ibama

“Nós reduzimos em mais de 80% as multagens no campo”, disse o presidente, que creditou ao ex-ministro Salles e à ministra da Agricultura, Teresa Cristina, as boas medidas para o campo

Salada Verde
18 de janeiro de 2022

MPF se pronuncia contra decreto que permite destruição de qualquer caverna

Câmara de Meio Ambiente do Ministério Público Federal (4CCR) diz que norma desrespeita princípios constitucionais. Governo publicou decreto na semana passada

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta