Notícias

Energia elétrica de renováveis na Alemanha assume 2º lugar

A eletricidade produzida através de fontes renováveis na Alemanha cresceu de 16,4%, em 2010, para 19,9% em 2011, um aumento de um quinto.

Redação ((o))eco ·
28 de dezembro de 2011 · 13 anos atrás
Turbinas eólicas em Schleswig-Holstein, Alemanha. Foto: BlueRidgeKitties
Turbinas eólicas em Schleswig-Holstein, Alemanha. Foto: BlueRidgeKitties

A eletricidade produzida através de fontes renováveis na Alemanha cresceu de 16,4%, em 2010, para 19,9% em 2011, de acordo com dados da indústria. Esses 3,3 pontos percentuais representam um crescimento de um quinto em apenas um ano.

A soma da energia eólica, solar, biomassa e hidrelétrica ultrapassou a produzida, individualmente, por carvão mineral e energia atômica. Essa última caiu de 22,4%, em 2010, para 17,7% em 2011, principalmente depois da decisão da chanceler Angela Merkel de fechar um reator antigo. A promessa é de que até 2022 todas as usinas atômicas sejam fechadas.

No mesmo período, a energia eólica subiu de 6% para 7,6% do total, um aumento de um quarto. “Energia gerada por biomassa perfez 5,2% do mix alemão, seguida de perto por solar e hidrelétrica”, diz a agência de notícias UPI.

A má notícia fica por conta do carvão vegetal (lignite coal) que é a fonte mais usada para produzir energia elétrica no país e também uma das formas mais sujas de se produzir energia. Este subiu de 23,2% para 24,6% no último ano. Mas um aumento anual de um quinto das energias renovável mostra que é possível que elas substituam fontes fósseis. Nesse ritmo, isso poderia acontecer em cerca de uma década. “A meta da União Europeia é descarbonizar o setor até 2050”, completa a UPI.

 

Leia também
:
 

Dica: Ecogeek

Leia também

Análises
19 de julho de 2024

Transespinhaço: a trilha que está nascendo na única cordilheira do Brasil

Durante 50 dias e 740 quilômetros a pé, testei os caminhos da Transespinhaço em Minas Gerais, de olho nos desafios e oportunidades para esta jovem trilha de longo curso

Notícias
19 de julho de 2024

Indústria da carne age para distrair, atrasar e inviabilizar ação climática, diz relatório

Trabalho de organização europeia analisou 22 das maiores empresas de carne e laticínios em quatro continentes

Salada Verde
19 de julho de 2024

Amazônia é mais destruída pelo consumo nacional do que pelas exportações

Consumo e economias das grandes cidades do centro-sul são o principal acelerador do desmatamento da floresta equatorial

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 1

  1. NEMÉSIO MARCHINI diz:

    Tenho uma excelente idéia para o campo da energia elétrica, de tal forma que, além de produzir mais energia elétrica, deve reduzir substancialmente os custos de produção dessa energia e reduzir drásticamente o efeito estufa.
    Desejo negociar/ vender minha idéia que deve valer muitos milhões de euros. Essa minha idéia está absolutamente guardada na minha cabeça, pois não foi divulgada para absolutamente ninguém. Somente será levada avante mediante a negociação de sua venda. Posso acompanhar os procedimentos de instalações enquanto necessários. A implantação pode ser feita em um prazo de curto tempo de trabalho. Insisto que estou vendendo minha ideía e que ainda não se trata de um projeto, o qual o adquirente da idéia poderá fazê-lo também sob sigilo, antes de começar a comercializá-lo. Não se trata de um sonho. Garanto que é uma excelente idéia que poderá render muitos milhões e milhões de euros. A troca da idéia pelo numerário poderá ser efetuada em uma Diretoria de grande Banco. Aguardo contatos para negociação.