Notícias

É temporada de baleias no litoral catarinense

15 baleias franca já foram avistadas nos últimos dias. Essa é a época em que elas vêm com seus filhotes para o litoral catarinense fugindo do inverno.

Daniele Bragança ·
12 de julho de 2011 · 11 anos atrás
Imagens registradas no dia 7 de julho. crédito: PBF/Priscila Couto
Imagens registradas no dia 7 de julho. crédito: PBF/Priscila Couto
Começou a temporada oficial das baleias no litoral de Santa Catarina. De sábado, dia 2, a sábado, dia 7, foram avistados 15 baleias franca no litoral. Essa é a época em que as baleias francas vêm com seus filhotes para o litoral catarinense fugindo do inverno na Antártica. A Baleia Franca é a segunda espécie de baleia mais ameaçada de extinção no planeta

É também a época em que os pesquisadores e voluntários do Projeto Baleia Franca (PBF/Brasil) – que há 30 anos se dedica à pesquisa e à conservação desses animais em terras brasileiras – tem mais trabalho. No sábado, dia 2, foram três baleias avistas na Praia de Itapirubá, sede do Projeto. Os animais foram vistos inicialmente na Praia de Itapirubá Sul, e estavam em deslocamento no sentido Norte. Na terça e quarta-feira, dia 5 e 6, a equipe percorreu desde o Cabo de Santa Marta (Laguna) até a Guarda do Embaú (Palhoça), onde foram registradas 12 baleias francas, sendo 10 indivíduos adultos e 1 par de mãe e filhote. O grupo foram registradas nas praias do Cardoso (Cabo Sta. Marta), Ferrugem e Ouvidor (Garopaba) e Guarda do Embaú (Palhoça).

crédito: PBF/Priscila Couto
crédito: PBF/Priscila Couto

Para ajudar no trabalho, esse ano 15 voluntários foram selecionados para integrar a equipe e estão em treinamento desde o dia 22 de junho. Os voluntários são estudantes e recém-formados dos cursos de Biologia e Medicina Veterinária vindos de várias partes do Brasil para aprimorar seus conhecimentos e vivenciar a experiência de pesquisa em campo sobre as baleias franca, cientificamente chamada de Eubalaena australis.
 
A baleia franca austral é uma espécie bastante dócil, nadando geralmente muito próxima à praia, logo após a arrebentação das ondas. Exposição de cauda e nadadeiras peitorais, além de borrifos em forma de “V”, são comportamentos bastante comuns facilmente observados a partir da costa, e que costumam atrair turistas para a observação das francas, que se caracterizam por possuir o corpo predominantemente preto, apresentar nadadeiras peitorais em formato trapezoidal, cauda larga e pontuda. Podem pesar mais de 70 toneladas e atingir 18 metros de comprimento. Os filhotes nascem com cerca de 4,5 a 6 metros de comprimento, pensando 5 a 6 toneladas. A gestação dura um ano, o mesmo tempo em que o filhote fica com a mãe ao nascer.

Saiba mais

Mapa da avistagem

{iarelatednews articleid=”1205,24600,24363″}

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
28 de janeiro de 2022

‘Nós não negamos nem desprezamos as causas das mudanças de clima’, defende-se Xico Graziano

Em pedido de resposta, engenheiro agrônomo Xico Graziano, membro do núcleo de campanha de Sergio Moro, diz que candidatura é aliada na luta em defesa do futuro sustentável

Salada Verde
28 de janeiro de 2022

Filhote de onça se esconde em motor de caminhonete, veja vídeo

Onça cutucada com vara curta contraria dito popular e apenas foge. Filmagem tem sido compartilhada em grupos e nas redes sociais. Não se sabe a origem do vídeo

Notícias
28 de janeiro de 2022

Cientistas pedem que países europeus e China boicotem soja e carne brasileira

Em artigo, os pesquisadores denunciam a nova alta de desmatamento na Amazônia e pressionam os países a pararem de comprar soja e carne bovina brasileira

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Manoel diz:

    Ou seja… os desqualificados nem escondem que a questão é política. Querem ajudar a quebrar o Brasil de qualquer jeito. E o melhor de tudo é apelaram pra China, como se não fossem os maiores poluentes do mundo. Infelizes…