Vídeos

Debate no stand ((o))eco: Proteção da Biodiversidade Marinha

Ana Paula Leite Prates do Ministério do Meio Ambiente e Leandra Gonçalves do SOS Mata Atlântica discutem perigos e desafios para ambientes costeiros e marítimos.

Redação ((o))eco ·
25 de setembro de 2012 · 12 anos atrás

Os ambientes costeiros e marinhos são os mais ameaçados do planeta. A grande lacuna no Brasil é a preservação marinha em que apenas 1,57% está em áreas protegidas.

Em entrevista no stand de ((o))eco, durante o VII Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (CBUC), em Natal, Ana Paula Leite Prates do Ministério do Meio Ambiente e Leandra Gonçalves do SOS Mata Atlântica discutem perigos e desafios para ambientes costeiros e marítimos.

Veja a 1a parte do debate:

Veja a 2a parte do debate:

A ocupação costeira desordenada, empreendimentos e crescimento das cidades nas áreas de manguezais que servem de berçários da vida marinha, poluição e falta de saneamento, são os grandes perigos que enfrentam estes ambientes.

Cerca de 80% dos recursos pesqueiros no Brasil são considerados sobreexplotados, ameaçados ou, até mesmo, ameaçados de extinção.

“É assustador mas não é só no Brasil. No mundo, 76% dos recursos pesqueiros estão nesse tipo de ameaça. O setor pesqueiro mundial está em crise e o Brasil não está diferente. Os estoques pesqueiros estão longe de serem inesgotáveis”, afirmou Leandra Gonçalves da SOS Mata Atlântica.

Nesta semana, ((o))eco acompanha o VII CBUC para discutir os rumos e desafios da conservação e o papel que desempenham no desenvolvimento econômico e social.

Leia também

Notícias
25 de junho de 2024

Queimadas já atingiram mais de 600 mil hectares no Pantanal

Área queimada em 2024 é 143% maior do que o registrado em 2020, quando um terço do bioma foi devastado. Incêndios devem ultrapassar 2 milhões de hectares este ano

Salada Verde
25 de junho de 2024

Florestas de todos

Plataforma governamental reúne informações sobre um dos (ainda) maiores remanescentes planetários de vegetação nativa

Reportagens
25 de junho de 2024

Dinastia Amazônia – Parte II

China se alastra por infraestrutura brasileira e impõe seu modelo de “civilização ecológica” de crescimento

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.