Vídeos

Debate no stand ((o))eco: Proteção da Biodiversidade Marinha

Ana Paula Leite Prates do Ministério do Meio Ambiente e Leandra Gonçalves do SOS Mata Atlântica discutem perigos e desafios para ambientes costeiros e marítimos.

Redação ((o))eco ·
25 de setembro de 2012 · 10 anos atrás

Os ambientes costeiros e marinhos são os mais ameaçados do planeta. A grande lacuna no Brasil é a preservação marinha em que apenas 1,57% está em áreas protegidas.

Em entrevista no stand de ((o))eco, durante o VII Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (CBUC), em Natal, Ana Paula Leite Prates do Ministério do Meio Ambiente e Leandra Gonçalves do SOS Mata Atlântica discutem perigos e desafios para ambientes costeiros e marítimos.

Veja a 1a parte do debate:

Veja a 2a parte do debate:

A ocupação costeira desordenada, empreendimentos e crescimento das cidades nas áreas de manguezais que servem de berçários da vida marinha, poluição e falta de saneamento, são os grandes perigos que enfrentam estes ambientes.

Cerca de 80% dos recursos pesqueiros no Brasil são considerados sobreexplotados, ameaçados ou, até mesmo, ameaçados de extinção.

“É assustador mas não é só no Brasil. No mundo, 76% dos recursos pesqueiros estão nesse tipo de ameaça. O setor pesqueiro mundial está em crise e o Brasil não está diferente. Os estoques pesqueiros estão longe de serem inesgotáveis”, afirmou Leandra Gonçalves da SOS Mata Atlântica.

Nesta semana, ((o))eco acompanha o VII CBUC para discutir os rumos e desafios da conservação e o papel que desempenham no desenvolvimento econômico e social.

Leia também

Notícias
20 de maio de 2022

Alto custo é principal barreira para visitação de parques

De acordo com estudo, alto custo da viagem, distância e falta de informações disponíveis são os principais obstáculos para visitação de parques naturais

Notícias
20 de maio de 2022

Presidenciáveis recebem plano para reverter boiadas ambientais de Bolsonaro

Estratégia ‘Brasil 2045’ propõe medidas para reconstruir política ambiental brasileira e fazer país retomar posição de liderança global em meio ambiente

Análises
20 de maio de 2022

O dilema de Koniam-Bebê

Ocupação indígena no Parque Estadual Cunhambebe realimenta falsa dicotomia entre unidades de conservação e territórios indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Cássio Garcez diz:

    Brilhante análise, Beto. Parabéns e obrigado por ela.