Reportagens

BR-163: longe de ser sustentável

Unidades de conservação ao longo da rodovia Cuiabá-Santarém são recordistas de incêndios. O Eco montou um mapa interativo com imagens do desmatamento e das queimadas.

Redação ((o))eco ·
24 de novembro de 2008 · 13 anos atrás
Fonte: BDQueimadas/INPE - Arte: O Eco
Fonte: BDQueimadas/INPE – Arte: O Eco
Desde de 2006, o governo Lula vem repetindo a ladainha de que a rodovia  Cuiabá – Santarém, a famosa BR 163, é um exemplo de sustentabilidade. Ali foram criadas gigantescas unidades de conservação, como as Florestas Nacionais de Jamanxin, Altamira e Trairão, que juntas somam mais de 10 milhões de hectares protegidos. No entanto, números do Inpe levantados pelo O Eco mostram que nos três últimos anos, as áreas protegidas ao longo da BR 163 estão no topo entre aquelas com maior número de focos de incêndio.

O caso da Floresta Nacional Jamanxin, com 1.3 milhão de hectares no município de Novo Progresso, é dos mais significativos. Desde que foi criada em 2006, ela é a campeã nacional de queimadas. No grafico ao lado é possível ver que o número de focos de incêndio vem diminuindo, mas este ano Jamanxim só perde em quantidade de queimadas da Chapada Diamatina. 

 A mesma tendência demonstrou o Imazon em seu último boletim Transparência Florestal na Amazônia. De acordo com os dados do Instituto, em setembro, a Flona Jamanxin e Altamira, além da Reserva Biológica das Nascentes da Serra do Cachimbo, estão entre as 5 unidades de conservação com maiores índices de desmatamento.

Para ter um retrato completo do que está ocorrendo às margens da BR 163, O Eco preparou um mapa interativo que mostra com fotos e dados dos focos de calor a dimensão das queimadas e desmatamentos nas Flonas Jamanxin e Altamira.

CLIQUE AQUI E BAIXE O MAPA (Arquivo KMZ 227 kb, abra com Google Earth) 

Veja no vídeo abaixo o que vc pode ver no mapa

Quando o arquivo estiver aberto no seu Google Earth, clique diretamente nos ícones de “O Eco” e nas  “Fotos 1, 2…” para ver o conteúdo.

Utilize também o painel ‘Meus lugares’ para ver todo o conteúdo. Abaixo, tudo o que você pode ver no mapa:

– Fotos e dados;

– Imagens georeferenciadas;

– Queimada de agosto de 2008 (imagem de satélite sobreposta – Sensor MODIS)

– Focos de incêndio entre 1º de agosto e 30 de novembro (focos captados pelo Inpe; clique nos ícones vermelhos para ver dia, hora e vegetação afetada)

VEJA MAIS SOBRE INCÊNDIOS NAS UCS NO MONITOR O ECO

Leia também

Notícias
20 de maio de 2022

Alto custo é principal barreira para visitação de parques

De acordo com estudo, alto custo da viagem, distância e falta de informações disponíveis são os principais obstáculos para visitação de parques naturais

Notícias
20 de maio de 2022

Presidenciáveis recebem plano para reverter boiadas ambientais de Bolsonaro

Estratégia ‘Brasil 2045’ propõe medidas para reconstruir política ambiental brasileira e fazer país retomar posição de liderança global em meio ambiente

Análises
20 de maio de 2022

O dilema de Koniam-Bebê

Ocupação indígena no Parque Estadual Cunhambebe realimenta falsa dicotomia entre unidades de conservação e territórios indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Cássio Garcez diz:

    Brilhante análise, Beto. Parabéns e obrigado por ela.