Notícias

Ação contra fim de Bom Futuro

Ministério Público Federal e do estado de Rondônia entram com ação na justiça para evitar o desmembramento da Floresta Nacional do Bom Futuro. Acordo de Ivo Cassol e Carlos Minc é ilegal.

Redação ((o))eco ·
19 de agosto de 2009 · 13 anos atrás

Uma ação civil pública ambiental foi encaminhada pelos Ministérios Públicos Federal e do estado de Rondônia para que a justiça suspenda o acordo que desmembra a Floresta Nacional do Bom Futuro. Realizado entre Brasília e o governo de Rondônia, o contrato assinado no último dia 2 de junho prevê que a unidade de conservação de proteção integral seja desmembrada em uma Área de Proteção Ambiental, uma floresta estadual e outra unidade de proteção federal de 132 mil hectares. Em contrapartida, o estado transfere para a União um terreno de 180 mil hectares a ser defendido em sua totalidade.

 

Segundo o MP, o acordo só existe porque o governo federal queria agilizar as obras da hidrelétrica de Jirau e conseguir o licenciamento de Rondônia para a inundação de 600 hectares da Floresta Estadual Rio Vermelho A, fato que ocorreu após a aprovação do Estudo de Impacto Ambiental – uma vez que a localização da barragem foi desviada. Mas, ainda de acordo com os procuradores, a troca acertada se baseia em argumentos políticos, e não técnicos, e a natureza sairia prejudicada. Neste mês, o Exército deu sinais de retirada da Floresta Nacional após três meses de ação mal sucedida, já que Minc decidiu tirar os gados lá de dentro, e não as pessoas que cometem crimes ambientais há mais de uma década.
 

Leia também

Notícias
6 de julho de 2022

Coalizão pelo Pampa publica carta aberta em defesa do bioma e alerta para ameaças

O documento lista dez diretrizes e ações para uso sustentável e conservação do Pampa e chama atenção para ameaças e destruição acelerada nos últimos anos

Notícias
6 de julho de 2022

Governador de Roraima sanciona lei que proíbe destruição de equipamentos do garimpo ilegal

Ministério Público afirma que lei é inconstitucional e pede que seja julgada no STF. Autor da proposta na Assembleia é defensor declarado do garimpo

Notícias
6 de julho de 2022

Governador do MT veta projeto que barrava construção de usinas no Rio Cuiabá

Considerado uma das principais veias de abastecimento do Pantanal, o curso d'água é alvo de um complexo de seis pequenas centrais hidrelétricas. Parlamentares organizam reversão do veto

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta