Download PDF

Estudo conduzido pela Universidade de San Diego descobriu que edifícios sustentáveis não são bons apenas ao meio ambiente, mas também às pessoas que vivem ou trabalham neles. De acordo com a pesquisa, inquilinos de prédios “verdes” ficam menos doentes (deixam de perder até 2,88 dias de trabalho por ano) e cerca de 55% deles informaram que estão mais produtivos. O aumento na produtividade e nos dias trabalhados geram lucro de cerca de 20 dólares por metro quadrado nesses edifícios.

O estudo também mostrou que edifícios verdes têm taxa de desocupação até 3,5% inferior aos prédios comuns e taxa de arrendamento no mercado até 13% maior. O trabalho foi baseado em pesquisas feitas em 154 imóveis que possuem a certificação LEDD (Leadership in Energy and Environmental Design) ou que possuem o rótulo de Energy Star da Agência Ambiental Americana.

Um outro relatório divulgado na última semana, realizado pelas organizações americanas Green Building Council e Booz Allen Hamilton, concluiu que a construção de novos edifícios verdes ou a modernização de estruturas já existentes vão gerar cerca de 7,9 milhões de postos de trabalho e injetar 554 bilhões de dólares na economia americana nos próximos quatro anos. O impacto econômico total do mercado de construção verde entre 2000 e 2008, segundo este documento, foi  de 178 bilhão de dólares injetados na economia, criação de 2,4 milhões de empregos e 123 bilhões de dólares convertidos em salários nos Estados Unidos.