Buscando origens

Salada Verde
terça-feira, 16 fevereiro 2010 11:24
foto: Aldem Bourscheit
foto: Aldem Bourscheit

Urbanização desenfreada, destruição de ambientes naturais, desrespeito à legislação e má gestão de áreas protegidas estão complicando a vida de quem aprecia um contato mais direto com o que resta da natureza brasileira. Em feriado carnavalesco, então, praias e locais de acesso facilitado tornam-se verdadeiros formigueiros, saturados de barulho e lixo. Uma alternativa é se embranhar nos sertões, onde raros boiadeiros tocam pequenos rebanhos, pássaros de todas as cores perambulam faceiros pelas copas das árvores e a eletricidade é um luxo que chega devagarinho, na carona de programas oficias. O rio acima corre em locais remotos da Chapada dos Veadeiros, onde descendentes de escravos fugidos fizeram sua morada, a mais de quatrocentos quilômetros de Brasília. Percorrer essa distância é hoje um preço que se paga para respirar um ar realmente puro, para lembrar como é um rio de água limpa, para descobrir como a noite pode ser escura e cheia de estrelas.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.