Salada Verde

Norte Energia inicia obras de Belo Monte

Nesta segunda, após quatro dias da queda da liminar que barrava o empreendimento, consórcio iniciou trabalhos de terraplanagem.

Redação ((o))eco ·
9 de março de 2011 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Karina Miotto

Crédito: Divulgação/Norte Energia
Crédito: Divulgação/Norte Energia
No dia 7 de março, a Norte Energia anunciou o início da terraplanagem em Altamira, no Pará. As obras incluem melhoria do acesso ao Sítio Pimental, vertedouro e uma subestação da hidrelétrica de Belo Monte. O comunicado foi feito quatro dias após Olindo Menezes, presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, derrubar a liminar da Justiça Federal que impedia a construção da usina.
Crédito: Divulgação/Norte Energia
Crédito: Divulgação/Norte Energia
As atividades atuais estão previstas na Licença de Instalação emitida pelo Ibama no dia 26 de janeiro, devem facilitar a chegada ao canteiro de obras da usina e, conforme o comunicado, “alojar os trabalhadores que vão participar de diversas ações, entre elas o saneamento da região e outras intervenções previstas nas condicionantes socioambientais que envolvem onze municípios”. A empresa refere-se a Altamira, Vitória do Xingu, Senador José Porfírio, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Uruacá, Placas, Porto de Moz, Gurupá e Pacajá. Estima-se que Belo Monte passe a operar em 31 de dezembro de 2014.

Crédito: Divulgação/Norte Energia
Crédito: Divulgação/Norte Energia

“Licença é ilegal”
Para o Ministério Público Federal do Pará, a licença que permite a instalação do canteiro de Belo Monte é totalmente ilegal, pois não está prevista no ordenamento jurídico brasileiro. O órgão comunica, também, que a derrubada da decisão por Olindo Menezes pode causar “prejuízos irreparáveis”, do colapso da infraestrutura urbana em Altamira a danos ao meio ambiente e à população do Xingu. “Atitudes como essa só comprovam que hoje o Ibama é o maior responsável pelo desmatamento na Amazônia”, afirma Felício Pontes.

Entre as condicionantes que deveriam ter sido cumpridas antes do início de qualquer obra, conforme explica o MPF, estão a construção e reforma de escolas e hospitais, recuperação de áreas degradadas, regularização fundiária e programas de apoio a indígenas. Das 66 estabelecidas em 2010, 29 não foram cumpridas, quatro foram realizadas parcialmente e não há informação sobre as 33 restantes.

Leia mais

Justiça suspende licença parcial para hidrelétrica de Belo Monte
Licença parcial de Belo Monte volta a valer
O Xingu que morrerá


Leia também

Notícias
17 de janeiro de 2022

Após por pessoas em risco, justiça proíbe “coach” de fazer atividades na natureza

A decisão judicial determina que Pablo Marçal, que protagonizou episódio de resgate no pico do Marins, não poderá fazer qualquer atividade na natureza sem autorização prévia

Notícias
17 de janeiro de 2022

Livro celebra cem anos da descrição da jararaca-ilhoa com alerta sobre conservação da serpente endêmica

Escrita em linguagem acessível para o público em geral, a publicação celebra os cem anos da descrição da jararaca-ilhoa, feita por por Afrânio do Amaral (1894-1982), à época diretor do Instituto Butantan

Notícias
17 de janeiro de 2022

Rondônia proíbe destruição de equipamentos durante fiscalização ambiental

Governador sanciona, com veto parcial, lei que proíbe que fiscais do estado inutilizem maquinário apreendido em ações de fiscalização ambiental

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta