Download PDF
Motogerador movido a etanol: tecnologia limpa na Antártica. Foto: divulgação Ministério da Defesa

Motogerador movido a etanol: tecnologia limpa na Antártica. Foto: divulgação Ministério da Defesa

A estação operada pela Marinha Brasileira na Antártica, faz uma semana, é iluminada por um motogerador movido a etanol. A tecnologia desenvolvida pela Petrobras é nacional e o combustível é o mesmo usado nos veículos brasileiros.

A utilização do motogerador movido à biocombustível faz parte da comemoração dos 30 anos do Programa Antártico Brasileiro (Proantar). Funcionará na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF) , que abriga militares, pesquisadores e estudiosos e terá capacidade de suprir toda a energia necessária às operações e aos programas científicos feitos no local.

Segundo nota publicada no site do Ministério da Defesa, a Petrobras fornecerá 350 mil litros de etanol e fará o acompanhamento tecnológico para avaliar e garantir o uso do biocombustível em condições climáticas severas.

O motogerador, desenvolvido pela VSE, uma empresa do Vale e do BNDES, funciona a partir de um sofisticado equipamento de controle e comando via internet. O equipamento e o etanol foram para a Estação brasileira na Antártica em outubro no navio de Pesquisas Oceânicas Ary Rongel. Logo depois, engenheiros brasileiros foram ao continente fazer as instalações e os testes necessários, já que o motogerador funcionará junto com os outros motogeradores já existentes a diesel.

A partida no motogerador foi feita pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, durante o evento de comemoração. Acompanham o ministro da Defesa na missão à Antártica o comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto, e o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro-do-ar Juniti Saito.