Você está pronto a entrar no louco frenesi de compras do qual participamos todos os anos, não apenas na Black Friday mas em toda a temporada de festas?

Você está pronto para aquela incrível explosão de gastos, para inflar a conta do seu cartão de crédito, para o estresse de comprar coisas para todo mundo da sua lista?

Você está pronto para consumir uma quantidade insana de recursos, causar um desmedido impacto ambiental, e trabalhar longas horas para pagar por tudo isso?

Sim, é época das festas de fim de ano novamente, e com ela vem a pior parte do consumismo.

Por mim, vamos pular fora.

Eu e minha família estamos lançando um desafio a todos os meus maravilhosos leitores e ao mundo: é proibido dar presentes novos durante as festas.

Que desafio maluco é esse? Simples – siga essa regra:

Não compre presentes novos durante as festas

"Espera, o quêeee"? Não se preocupe, existem alternativas:

  • Faça seus próprios presentes, como construir ou produzir algo artesanal
  • Faça presentes consumíveis, asse um bolo ou biscoitos
  • Ponha-se a serviço dos outros como presente: faça uma massagem, tome conta das crianças de um amigo, lave o carro, limpe a casa, corte a grama, etc.
  • Compre presentes usados em lojas do tipo brechó
  • Junte um grupo (ou a família) e doe para uma instituição de caridade
  • Faça trabalho voluntário
  • Compartilhe uma experiência com os amigos (como uma viagem ou um jantar fora)
  • Criem alguma coisa, juntos, em vez de consumir
  • Dê para os outros seus objetos ociosos (uma boa máquina de costura, etc.)
  • Sintam gratidão pelo que já tem.

Entrou nessa? Aceite esse desafio! Será divertido, você poupará dinheiro e a sua família precisará ser criativa.
 

A Tradição das Tradições

Muita gente vai fazer pouco e dizer que adora dar presentes. Afinal, é a tradição.

Sim, claro. Mas novas tradições podem ser forjadas se as velhas não estão funcionando. E eu argumentaria que a tradição de comprar presentes está “quebrada”.

Queremos mesmo ensinar nossas crianças que dar é igual a comprar? Queremos ensiná-las que para demonstrar amor é preciso comprar algo? Nós queremos usar o consumismo em vez da criatividade como exemplo? Estamos dizendo que a única maneira da família e dos amigos se reunirem é se nós gastarmos um caminhão de dinheiro?
 

Não. Sejamos mais criativos. Vamos começar novas tradições.

Que tipo de tradições? Que tal se as famílias se reunissem para participar de jogos? Construíssem coisas? Saíssem ao ar livre para caminhadas, diversões, natação, brincar na neve, acampar? Que tal se as famílias ensinassem umas às outras como fazer coisas?

E se as famílias se reunissem para ajudar os outros? Voluntariassem-se a distribuir refeições aos pobres, ajudassem na construção de casas, limpassem a vizinhança? Mostre que dar pode ser sensacional e não precisa envolver consumismo.

Seja criativo. Seja saudável. Seja construtivo e tenha compaixão.

Esse texto foi publicado sob a licença Creative Commons. Leo Babauta é o autor do blog Zen Habits, onde o original (em inglês) pode ser lido.

Leia também: